4 de julho de 2012

Uma carta

Estou seguindo uma rua de mão única
Com uma hospedagem de uma noite, e uma ideia fixa na cabeça
Andando numa terra sem dono
(O castigo as vezes não parece ser justo ao crime)

É tem um buraco em minha alma
Mas uma coisa eu aprendi
Para cada carta de amor escrita, existe outra queimada
(Então você me diz como será desta vez)

Acabou, acabou
Pois estou soprando a chama

Dê uma volta fora da sua cabeça
Me diga como se sente sendo a pessoa que gira a faca dentro de mim
Tem um buraco em minha alma que esta me matando há tempos
É um lugar onde um jardim nunca cresce
Tem um buraco em minha alma, pois seu amor é como um espinho sem uma rosa

Estou seco como uma estiagem de sete anos
Minhas lágrimas viraram poeira e estou totalmente vazia
(As vezes me sinto quebrada e não posso ser consertada)
 
Sei que já teve todos os tipos de sapatos debaixo da sua cama
Agora eu durmo com minhas botas mas você ainda está na minha cabeça

Pois se acabou, então acabou
E isso está me deixando louca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oba! Adoro quando você comenta!