22 de fevereiro de 2013

Nutrição: Amamentação e alimentação complementar


Por Claudia Luques.



Olá, caros(as) leitores(as)!

Como foi vossa semana? Espero que tudo tenha ocorrido bem!

Estou aqui, nessa sexta feira, como de costume, para falar sobre um assunto muito pouco difundido pelos órgãos de comunicação, dada a sua tremenda importância: a amamentação.
Iremos comentar, aqui, algumas vantagens desse ato que aproxima, desde sempre, o que se tem de mais valioso nesse mundo: a relação entre mãe e filho (a).

Preliminarmente, vale destacar que a amamentação, ao contrário do que muita gente pensa, não traz apenas vantagens para o bebê, mas também para a mãe. Só para começar com o exemplo que mais chama a atenção da mulherada, a amamentação faz com que a mamãe emagreça! Isso mesmo que você leu. A amamentação ajuda, e muito, no processo de emagrecimento pós parto.

Um outro fator de extrema importância para as mães (e aqui envolvem os papais também) é que é o meio mais barato de se alimentar uma criança. Segundo o Ministério da Saúde, até que a criança complete 06 meses de idade, o aleitamento materno deve ser EXCLUSIVO, ou seja, somente ele. E, ao contrário do que muita gente pensa, um bebê não precisa se alimentar com mais nada, NADA MESMO, nem mesmo chás e água. Isso porque o leite materno contém as quantidades adequadas de nutrientes para o bebê, inclusive de água. E mesmo no calor, não é necessário dar água, pois ela já estará presente nas quantidades adequadas no leite materno.

Após os seis meses, a inclusão de água, sucos naturais e papas salgada deve ser feita, durante aproximadamente um mês para a adaptação do bebê aos novos alimentos, e o aleitamento materno mantido. A partir dos 07 meses deve-se incluir a fruta, e manter os outros alimentos em consistência de papa. Após o primeiro ano de vida até os dois anos, deve-se manter o aleitamento materno também, porém, a alimentação pode ser a mesma dos pais (quanto à consistência). Como preconizado pelo Ministério da Saúde, o aleitamento materno deve ocorrer até os dois anos ou mais. Assim, não se torna mais necessário, a partir desta idade, e no lugar dele entra o leite de vaca (com exceção daqueles que são intolerantes).

Os alimentos que devem ser evitados nestas fases são: Refrigerantes, sucos industrializados, doces em geral, balas, chocolate, sorvetes, biscoitos recheados, salgadinhos, enlatados, embutidos (salsicha, lingüiça, mortadela, presunto, etc), frituras, café, chá mate, chá preto ou mel não devem ser oferecidos à criança. Estes alimentos são ricos em gorduras,  açúcar, conservantes ou corantes e podem comprometer o crescimento e desenvolvimento, além de aumentarem o risco de doenças como alergias, obesidade e carências de vitaminas e minerais (IBFAN - Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar).

As orientações gerais não substituem um atendimento nutricional individualizado. Para agendar sua consulta ligue para (13) 88020827.

Espero que tenham gostado do post desta semana. Semana que vem falaremos ainda sobre amamentação, porém, sobre dicas para que este processo se torne mais fácil.

Grande abraço!

Cláudia Beneton Luques (CRN 29478)

4 comentários:

  1. Ótimas dicas, gostei do seu blog..
    estou te seguindo, visite meu blog
    e se gostar me siga tambem. Bjos

    http://monicaaraujominhavida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelas dicas.
    vão ajudar muitas mamães!
    Bjos
    Tatty
    http://diariomaedeprimeiraviagemtatty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oba! Adoro quando você comenta!