28 de maio de 2013

Hospital Pediátrico de Mongaguá


Mais uma consulta vergonhosa no hospital da nossa cidade.

(bonito por fora, podre por dentro)

Há uns meses atrás, eu reclamei AQUI do péssimo atendimento que tive na maternidade de Mongaguá, e hoje quero relatar a porcaria do hospital pediátrico, que fica ao lado da maternidade.

O Vic ficou gripado novamente, então eu levei ao hospital pra pegar receita de inalação, e verificar se poderia continuar dando o mesmo remédio que foi passado na última gripe.

Quem me atendeu foi um médico chamado Heraldo Cosseti Barbosa, quando entrei na sala, ELE SEQUER OLHOU pra nós, e de cabeça baixa, postura totalmente largada na cadeira, e tomando nota de algo que eu nem sei o que é, já que ainda não tinha falado nada, nos perguntou: o que foi?

Eu disse: "Ele está com o peitinho cheio de catarro, tossindo, não deu febre, mas tem coriza"

Ele: "Deita ele ali"

Nem preciso falar né, maca com lençol de mil anos sem trocar.

Deitei o Vic lá, ele pegou um palito pra olhar a garganta, enfiou o palito e apertou a lingua pra baixo com tanta força que O PALITO QUEBROU, sorte que foi fora da boca do Vic senão eu tinha metido a mão na cara dele.

De novo eu fiquei tão abismada com essa filhadaputice, que não falei nada, só me recuperei quando saí da sala, mas já chego nessa parte...

Pois bem, Vic já chorando, de susto, ele pegou, ouviu o peito com o estetoscópio (é esse o nome, né?) e voltou pra mesa, disse: "Não é nada grave, é só uma gripe"

Passou receita pra UMA inalação, e disse que eu podia continuar dando os remédios que dei da outra vez.

Aí falou "TCHAU" tipo, me mandando sair, eu virei as costas, ele falou "chama o Breno, por favor"

Saí, não chamei Breno nenhum, porque não sou secretária.

Mas assim que botei o pé na porta, eu contei a história pra todas as mães da sala de espera, rs, parecia uma palestra, já disse logo que ele quebrou o palito na boca do Vic, tomara que as mulheres que entraram depois tenham colocado o cretino no lugar dele.

To cansada de reclamar desse hospital, nunca adianta, porque aqui a prefeitura parece o programa do ídolos, só aparece palhaço pra se mostrar e nada de resolver os problemas que afetam a população.

Um dia eu me mudo dessa porcaria, gosto muito dessa cidade, mas é uma pena que seja tão mal administrada.

Espero que essa postagem, agora que tenho mais meios de divulgação, chegue em alguém que possa fazer alguma coisa

Abraços,

Ludmila e Victor (que está melhorando)

4 comentários:

  1. Filho da puta! Desculpa o palavreado, mais um cara desse não tem que estar trabalhando lá não!!

    ResponderExcluir
  2. Não sei de quem é a culpa, é igual foi comentado na postagem "filhadaputice"

    O atendimento hoje em dia é horrível, o médico esta pouco ligando se você esta bem, se ele pode ajuda-lo(a). E o mais engraçado de tudo isso é que, se o paciente reclamar, eles ficam nervosos e irritados, pois dizem que estão trabalhando mais de 12 horas.

    só um breve resumo... eu tenho 19 anos, e trabalhei desde os 15 anos até os 19 de garçom, hoje já mudei de área(isso não vem ao caso). Durante esses 4 anos, nunca que recebi uma chamada de mal atendimento e olha que já cheguei trabalhar mais de 15 horas e posso comprovar isso
    Muitos podem falar: você não é médico. Ou, você esta comparando garçom com médico?
    Não! não estou comparando nada disso, eu sei, e sim, tenho a noção que uma profissão, não tem nada a ver com a outra.
    Mas o que quero dizer que tem que existir amor no que faz. Hoje em dia eles tratam você como fosse um animal(apesar que nem animal deve ser tratado assim).
    Antigamente quando eu era mais novo, quando era mulequinho, 8 ou 9 anos, era atendido super bem. porem, hoje não existe mais isso. Não existe mais o amor em ajudar alguém. Porra! se tivesse ali obrigado! tudo bem...(Eu vou tentar dar um desconto, vou tentar entender) mas o ser(médico) estudou, se formou para atender alguém dessa maneira, sem contar que o mesmo atende crianças e o cuidado tem que ser redobrado...
    Eu, Wryel Felipe de Jesus Belmont, não sei mais o que falar, não sei como entender casos como esses...
    Espero que não só o Brasil, mas o mundo inteiro acorde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amor no que faz? Isso não existe mais! Só acho que uma profissão que lida com a saúde de uma criança não deveria ter essa negligência, esse descaso... vamos ter fé que reclamando acontece alguma coisa!

      Excluir

Oba! Adoro quando você comenta!