28 de junho de 2013

Mudança


Estamos voltando para a casa dos meus pais que estava em reforma, por isso o meu sumiço, minha situação atual é sessão de espirros ao empacotar coisas velhas, eu perdida no meio de caixas de papelão e o Victor imaculado no seu cantinho assistindo Cocoricó, como sempre...

Descobri que tenho mais livros do que roupas, e encontrei coisas que perdi no ano passado e tinha desistido de procurar!


Também li cartas antigas, perdi foi tempo e energia, relembrando tempo que não volta mais.


Não sei, talvez eu fique uma semana sem net, então vamos ver, se demorar mais de uma semana eu dou notícias pela fan page! 

Um beijo!


26 de junho de 2013

No fim tudo acabou bem, e indicação de leitura


E no final, a situação de plágio foi resolvida, ela apagou tudo, e agora durmo contente!

Mas estou aqui pra falar de outra coisa. Todos aqui sabem que eu não sou ninguém sem meus livros, e encontrei um blog muito fantástico, e escrito por um homem, coisa difícil de se encontrar (geralmente blogs de homens falam de games, nerdices, carros, mulheres e machismo, mas esse fala de livros e de um modo invariavelmente sensível, vale muito a pena ler).

O blog é 1,2,3 lendo e escrevendo e estamos trabalhando em parceria no sentido de divulgação, logo o banner do blog dele estará aqui na coluna lateral de parceiros, e o meu banner vai pro blog dele também...
Acho que muita coisa boa e interessante ainda vai sair dessa mente, do amigo Rony, então fica a dica de leitura pra vocês.

Mais alguma novidade? Acho que por hora é só isso mesmo...

Ah! Vic se recuperou da dor de garganta, graças a Deus! Obrigada a quem fez pensamento positivo para que ele melhorasse, isso ajuda demais!

Um beijo a todos!


22 de junho de 2013

Fui plagiada


To muito puta! Desculpem o palavreado

Estava passeando pela blogsfera, me deparei com esse post postado dia 21 de Junho de 2013:

http://meupequenoprincipejc.blogspot.com.br/2013/06/22-coisas-sobre-maternidade.html#comment-form

Exatamente igual a esse meu post do dia 4 de fevereiro de 2013:

http://asaventurasdovic.blogspot.com.br/2013/02/21-coisas-sobre-maternidade.html

A desgraçada da menina nem pra ter a decência de mudar as palavras um pouco, usou exatamente o mesmo texto, não citou a fonte, e ainda no meio da postagem colocou um link pra minha postagem "rotina pra dormir".

Depois o pessoal vem me jogar indireta nas redes sociais, que blog não é competição, que tem gente levando muito a sério, que blog de filho é tudo igual. NÃO É NÃO! Pode até ser que vez ou outra os assuntos sejam os mesmos, mas usar minhas palavras, minhas gírias, meu dialeto meio "nordestino-paulista"? Isso eu não aguento. Isso eu tenho até tremedeira!

Minha vontade é arrebentar a cara, mas como não posso fazer nada, registro aqui pra vocês verem.


20 de junho de 2013

Vic adoece e eu piro


O pobrezinho agora está com dor de garganta, placas de pus e etc... Vou contar detalhes:

Há três dias atrás, ele começou com uma febre estranha, examinei (de médica toda mãe tem um pouco) e não encontrei nada muito óbvio. Logo surgiram bolinhas avermelhadas por todo o tórax e cabeça.

Levei no hospital infantil que eu já comentei várias vezes aqui que é uma porcaria, e tinha mais de 40 crianças, dois médicos atendendo, e nada da fila diminuir. Fui pra casa, e no dia seguinte paguei consulta particular.

O doutor, que vou apelidar de Dr. Florzinha, pela delicadeza, examinou o Vic, e quando olhou a garganta estava avermelhada, ao que ele passou um remédio chamado profenid.

Dois dias se passaram e a febre aumentava progressivamente, até a madrugada de hoje, em que eu acordei três horas da manhã com ele chorando de dor, queimando de febre, medi e estava com 38,5 graus... Dei o remédio, e nada, acordei minha mãe às 4h da manhã e fomos ao pronto socorro infantil de merda, que ainda assim é melhor que nada.

O médico que me atendeu pediu exame de sangue, imagina que tristeza, nós 4h30 da manhã no terrível posto de segurar os braços de um bebê que não fala, mas que sabe dizer "aiaiai" chorando, e pedindo pelo amor de Deus com os olhos para que você o tire daquela situação.

O exame deu "virose" e deficiência de ferro.

Durante a tarde, conseguimos uma consulta com o Doutor Tufas, vocês sabem, Dr Luiz Carlos, o pediatra do Vic. No caminho, encontramos uma mulher que disse que a mãe dela era benzedeira e colocava milho de pipoca embaixo da cama do garoto doente, e o que fosse, catapora, sarampo, "estourava" durante a noite, assim logo se via o que o menino tinha, e assim sarava logo.

Chegamos no Dr. Tufão, e finalmente ele examinou corretamente, isso já eram 3h da tarde, o Vic o dia todo chorando, enquanto acordado.

Deu o mesmo diagnóstico, dor de garganta, placas de pus, passou os remédios, e olhou o exame: virose e deficiência de ferro. As marcas pelo corpo eram decorrentes da virose também.

Ainda assim, chegando em casa, eu fui procurar milho de pipoca, mas não tinha.

Daqui a pouco chega meu tio, com um vidrinho com uma tal água de prata, que segundo ele, cura fungos, leveduras, vírus e infecções. Dei também um copo!

Agora estou aqui, com os olhos esbugalhados, cheia de sono, mas com medo de dormir e ele passar mal e eu não ver. E quase indo ali na vizinha pedir um copinho de pipoca.

Tomara que eu não encontre mais ninguém que me fale uma superstição pra esse menino sarar, porque do jeito que ele tá, to topando qualquer parada!

Um beijo e se puderem, orem pela saúde do meu pequeno.



Ensaio Fotográfico - 7 meses


AVISO: Coloquem um babador antes!







Por causa de um problema no blogger, não consegui postar as outras, mas cliquem AQUI para ver as que estão faltando (link do facebook, precisa estar logado)

Beijos!

18 de junho de 2013

O gigante acordou


Victor, quando você era apenas um bebê, o país em que vivemos atravessava uma fase muito difícil, corrupção, governantes roubando o dinheiro dos nossos impostos, fraudes, toda a sorte de manipulação da massa que você pode imaginar. Pense num país que mais parece uma feira livre. Esse é o nosso país no dia de hoje, eu escrevendo essa postagem, em face das mudanças que vou narrar agora, espero que quando você estiver lendo, do alto dos seus 18 anos, ou menos, o nosso país se lembre desse ano como o ano que o país se levantou pra lutar por melhores condições de vida.

Estava eu voltando de um passeio com você e a sua avó, comprando mimos, e vivendo no nosso mundinho onde quase nada dá errado, e bati o olho na TV, onde estava passando uma reportagem sobre um grupo de manifestantes reclamando sobre o aumento das passagens de ônibus na cidade de SP. Lá se viam bombas de gás lacrimogêneo, tiros de balas de borracha, pedradas, pessoas machucadas, pessoas pixando paredes, depredando patrimônio público... Simplesmente disse: "Tem mais é que apanhar mesmo, esse bando de baderneiros, isso não é protesto. Reclamar por causa de 20 centavos?"

(Até o Marcelinho tava lá!)

Mas na mesma noite, vendo as notícias da internet, vi que a coisa não era bem assim... O que me convenceu a tomar parte disso, foi esse texto, do grupo extremista ANONYMOUS:

"Não temos escolas, nem educação, não temos hospitais, muito menos saúde, não temos boas estradas nem transporte, não temos justiça para todos, apenas para os pobres.
Enquanto muitos morrem de fome ou sendo assaltados pela miséria, milhões são gastos em estádios de futebol e olimpíadas, e engana o povo com bolsas esmolas ao invés de capacitar ops jovens para trabalhar dignamente, importar médicos de outros países é fácil, difícil é formar os seus e valorizar para que eles não saiam do país. Isso sim são os nossos perigos no horizonte, e não sua fuga de capital e inflação de juros e dólar. A inflação está nos corroendo há anos, mas com pão e circo em dia o povo não nota, afinal de contas a novela está quente e o mengão está ganhando.
Como o senhor pode ver nós temos motivos sim para lutar, e é por muito mais que 20 centavos, A PEC 37 é um outro absurdo sim, e terá sua vez nas manifestações.


E não venham dizer que somos revoltosos de classe média, somos um povo cansado de ver a miséria na nossa porta, pois sair de casa de barriga cheia e ver a fome do outro lado da rua não nos deixa felizes, mas sim com vontade de mudar isso.
Pagamos mais impostos do que qualquer país do mundo,  e temos em retorno a pior saúde e educação. Vocês realmente achavam que essa apatia do povo seria eterna? Nós merecemos mais que isso. Vamos recriar nossa democracia, com os interesses do povo em primeiro lugar"

Depois disso, filho, foram acontecendo uma manifestação após a outra, nas principais cidades do Brasil, e nas pequenas também. É o povo tomando posse do que é seu. Foi lindo de ver, espero poder ter registros disso pra te mostrar.

Enfim, foi um resumo do que está acontecendo por aqui, em 2013, caso se interesse, da uma olhada no google, filho. Espero que valores como o patriotismo e a vontade de ajudar o próximo que eu tenho e muito, passe pra você. Um beijo e mamãe te ama.

Agora, com as pessoas que estão lendo isso hoje, em 2013:

Aos mongaguaenses, convoco para a manifestação principal, que irá acontecer dia 01/07 às 18h, eu estarei lá. Vamos dar voz à essa massa!


Alias, às pessoas de outras cidades, verifiquem o facebook, que é onde estão sendo feitas as convocações de cada cidade, participem, no dia 07 serão todas as cidades do país ao mesmo tempo!

Mamães, se vocês não podem ir até a rua participar das manifestações, participem pela internet, divulguem, compartilhem, repassem as informações. Estamos sendo a mudança, para que nossos filhos tenham um país realmente de todos, futuramente.

Um abraço,

Ludmila



16 de junho de 2013

A primeira palavra


Foi: Mamãe,

E às vezes, têm as variações: Mãã, mããe, mãm

Na verdade já fazem uns dois meses que ele fala essas palavrinhas, mas eu pensava: Caramba, não pode ser, deve ser coincidência, pois a letra M é mais fácil de falar... não é possível...

Minha mãe dizia: "Você só vai acreditar que ele está te chamando quando ouvir: sua cachorra, "vem aqui"?"

Enfim, mas nos últimos dias, difícil não acreditar que ele está mesmo dizendo mamãe, pois além disso, ele estende os braços e olha diretamente na bola do meu zóio!

Então não tem como negar mais! Oficialmente, a primeira palavra que o Victor disse foi Mamãe

E nada mais justo, na minha humilde opinião.

Um beijo a todas, e vou lá curtir meu pequeno!

13 de junho de 2013

Contratar uma babá


Nunca estive do lado de cá da mesa antes, o de contratante, mas estou procurando uma babá, assim, só por curiosidade, caso eu consiga logo um emprego e já tenha alguém em mente pra cuidar do meu bem mais precioso.

Organizei um roteirinho para mamães que estão na busca de uma babá por não confiarem nas creches, ou berçários:

Pergunte abertamente e da maneira mais clara possível tudo o que quiser saber. Se está curiosa para ver como ela reagiria ao choro constante do bebê, pergunte exatamente isso, em vez de sair pela tangente com observações do tipo "às vezes meu filho chora um pouco". 

Observe asseio, isso é muito importante.

Deixe-a tirar algumas dúvidas também, é importante vê-la falar, aliás eu considero isso de extrema importância, pois o Vic ainda vai aprender a falar, e espero que ele tenha ao lado alguém que fale corretamente.

A seguir, algumas questões pessoais que podem ser feitas à candidata:

Por que você quer ser babá? 
O que você mais gosta no trabalho como babá? 
O que você menos gosta no trabalho como babá? 
Já passou por uma situação de emergência? O que aconteceu e como resolveu? 
Sabe cozinhar? 

Pra mim, essas perguntas são importantes, por que? 

Primeiro:Victor não toma banho em banheira, só em chuveiro. A babá terá que se acostumar a dar banho nele agachada, com ele dentro da banheira, mas em pé, pegando água do chuveiro
Segundo: Victor demora de 20 a 40 minutos no almoço e janta, assistindo Cocoricó, e brincando na cadeirinha de alimentação. Não posso nem imaginar uma babá sem paciência enfiando a colher na gengivinha dele pra ele comer depressa, me dá ate calafrios de pensar!
Terceiro: Vic gosta de vitamina, de frutas, mas a babá precisa rebolar pra conseguir fazer ele comer, e não é tudo que eu deixo ele comer, acho que vou ter que deixar um caderno com instruções e horários, sei lá (pensar muito nisso quase me faz desistir!)

(Ah... como eu queria achar uma senhora Doubtfire...)

Quarto: Quando o Victor dormir o soninho da tarde, eu acredito que seria interessante ela ir arrumar o que fazer, e não esperar duas horas pra ele acordar, ela pode ir lavar a roupinha dele e passar, ou arrumar as coisinhas dele, me digam, estou viajando demais? Uma babá pode fazer isso?
Quinto e último: "
A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte" Já pensou uma babá que não brinca? Que não conta histórias? Que não ensina nada a ele?

Segue o site do ministério do trabalho com a legislação para empregados domésticos(acredite, hoje em dia se você não registrar, rapaz...):


Enfim, that´s it

E me contem, mamães, vocês já estão trabalhando? Como ficou essa questão? 

Um super beijo!

Lud

De volta à velha mesa de trabalho


Boa noite

Sumiço de novo, mas sempre com bons motivos para o atraso.

A novidade é que estou começando a procurar um novo emprego (e uma babá, consequentemente). Está na hora de voltar à vida real, ter uma conversa com outros adultos que não seja sobre maternidade, sair um pouco de casa, e o mais importante: ganhar uma grana.

Sim, porque Victor é um tanto quanto caro. É como ter sua primeira casa. Você compra ela pequena, poucos cômodos e quintal grande. Mas logo quer aumentar, fazer um sobrado, colocar piscina, trocar os móveis.... E quanto maior a sua casa, mais ela requer coisas para que fique bonita, confortável.

O Vic a mesma coisa, eu jamais poderia imaginar que uma camisetinha que não se usa um metro de tecido poderia custar mais caro do que uma calça jeans pra mim. Mas a gente compra, porque quer ver o rebento igual um artista mirim, desses de revista.


Se tem uma coisa que eu não tenho dó de gastar, é com ele. E como tenho sofrido nas vitrines da Tigor Tigre sem ter poder aquisitivo para tanto, resolvi voltar a trabalhar!

Cruzem os dedos, leitoras minhas, para que eu consiga tão loguinho uma entrevista com um salário bem gordinho!

Beijos e até a próxima!


7 de junho de 2013

As recentes novidades


Sessão de fotos! Fizemos e ficou awesome! Dia vinte eu vou lá na Reis Produções e o pessoal que lê isso aqui (sobrou alguém?) vai ver em primeiramão o príncipe mais lindo da face da terra!

Bom, de resto, a minha vidinha com o Vic continua a mesma coisa, como comentei no ultimo post, a dependência do Victor está se tornando uma coisa prejudicial aos dois, a mim pelo cansaço e a ele pela formação de caráter (acho que não pode ser bom, a criança ser assim grudada na mãe)

Novidade bestinha, comecei esse mês a assistir um seriado, How I met your mother, e já estou na quarta temporada. Isso parece beeem de longe com a minha vida antiga, que eu conseguia ver alguma coisa na tv ou computador, a diferença é que antes eu via deitada comendo pipoca e sem hora pra acabar, e hoje assisto de pé no meio da sala chacoalhando o Victor e um episodio por vez, que dura vinte minutos cada. 


Enfim, espero poder voltar a blogar com mais frequência, agora que as tarefas diminuíram.

Um beijo a todas, e até a próxima!


Dependência


Oi, desculpem o sumiço!

(Uma postagem que começa com pedido de desculpas, não pode acabar bem, but here we go)

Quero falar de uma coisa que está me incomodando muito (ah, exagero, nem tanto, mas atrapalha): a dependência que o Victor tem da minha presença.

Só eu consigo fazer dormir quando tá irritado, só eu consigo dar comida (ele só come na marra, e minha mãe tem dó de dar comida quando ele não quer), eu passo o dia com ele e só consigo fazer algo quando ele dorme, pois ele me solicita o tempo todo.

Se está com meus pais, e eu passo, ele já estende os braços, se ouve minha voz em outro cômodo, começa a chorar, se tô com ele na minha frente mesmo assim ele chora porque têm que estar colado, cheirando o meu cangote.


To cansada disso, e não sei o que fazer pois está chegando o momento que vou ter de voltar a trabalhar, e como faremos com essa situação?

Nunca achei que fosse dizer isso, mas preciso que vocês leitoras que trabalham, me deem dicas aqui nos coments de como fazer do Vic um bebê mais independente. Seria isso mal de criança criada com mãe em casa?

Não que eu seja uma bruxa que nega carinho ao filho, pelo contrário, passo o dia beijando e cheirando, e dando comida, banho, brincando, e ensinando e ba bla bla (o que sempre fiz, vocês sabem)

O fato é: Victor precisa sair um pouco da barra da saia da mommy. Comentem.

Beijos, Lud e Vic

3 de junho de 2013

Batismo do Vic


Bom dia desta, que com menos 20kg nas costas, escreve alegremente!

Ontem rolou o batismo, como diz o meu irmão, tio-padrinho do Vic, agora "meu minino é de Deus" rsrs

Fotos do evento:

(Vic lendo o programa da missa)





(Padrinho e Madrinha)

(A vela do batismo)

(Avós maternos...)

(Avós paternos...)

(Titia Paloma)

(Bisavó e tios-avós maternos do Vic)

(O padre, bem jovem e com sotaque alemão)

Depois, rolou um almoço na minha casa:

(Olha o meu visual de analista de sistemas!)

(Todo sorridente, meu amorzinho)

(Será que acho ele lindo porque sou a mãe dele?)

(Tia Clara Isa)

(Olha essa cara! kkk)

Enfim, eu achei um dia muito agradável, estou muito feliz que passamos por mais essa data, agora vai começar outra preocupação, a festa de aniversário, mas isso é assunto pra outra postagem!

Um beijo a todos e fiquem com Deus