11 de agosto de 2013

A maldição do sábado a noite


Começa com um comentário aqui e outro acolá, sinalizando que você precisa sair um pouco sozinha, afinal, você virou mãe mas não deixou de ser mulher e etc. Aí umas duas pessoas se oferecem pra cuidar do bebê, aparece um convite num sábado e pimba! Lá está você escovando o cabelo e se preparando pra sair mais tarde.

A primeira tarefa, aliás, tarefa não: desafio. O primeiro desafio é procurar no seu guarda-roupas alguma peça que não seja larga demais, ou comprida demais, ou em tons pastéis. A vontade de sair até diminui quando você olha pra aquele pijaminha limpinho no seu guarda roupa, mas você pensa: "Não, vou puxar um vestido desse guarda-roupas que vai me deixar linda e arrasar na baladinha".

"Amiga, acorda! Você perdeu a prática, além disso esse vestido ressalta sua barriguinha que, convenhamos, não é a mesma que você tinha há dois anos atrás" Essa é minha eu de 24 anos falando com a eu de 22 anos, que pensa que vai sair na night, sem prejuízo de ter saudade do bebê que dorme quentinho em casa.

(Acabei indo de calça e blusa de manga hehehe)

O passeio (olha só, passeio, que gíria idosa é essa?)... Bom, o rolê (melhor, né?) é tão tarde que dá até pra fazer o baby dormir antes de sair, e colocar quentinho na cama da vovó que de bom grado aceitou cuidar dele pra você se divertir um pouco.

O problema é que isso não acontece! Você sai de casa quase meia noite, e lá tudo parece te incomodar, o som é pagode, as pessoas estão estranhamente anãs (nem percebe que é culpa do seu salto alto numero 12, pois faz tempo que você só usa sapatilhas e rasteirinhas pra não cair com o bebê). Você está acostumada a tomar suquinho de frutas, e lá só tem vodka com energético, que te lembra dipirona, além disso, você tem que lidar com uma coisa que eu chamo de dança do acasalamento.

A dança do acasalamento é um fenômeno que acontece nas festas, baladas e afins. Onde a fêmea é uma vaca, e o macho é um pavão. Todas as meninas da festa parecem ter combinado a roupa antes. Pois é um vestido curto e apertado, com os seios de fora, e um salto alto. E os homens de jeans e camiseta, não valem um real mas agem como se fossem um pavão muito interessante. As meninas, com problema grave de amor próprio, lutam na pista de dança para atrair mais olhares e se "dar bem" até o fim da noite.

Enfim, o que quero dizer é que não me sinto mais dentro da juventude de hoje. Posso estar destreinada, não sei, mas o fato é que eu me senti uma velhota no jardim da infância, e cada minuto que passei lá estava pensando em voltar pra casa e dar umas cheiradas no pescocinho do meu filho.

Foi até uma indelicadeza com as minhas amigas, que foram me buscar em casa, e eu simplesmente dei "os cinco minutos" e fui embora. Desculpa meninas, não foi nada pessoal, até podemos marcar outro encontro, mas algo mais tranquilo, em que eu me sinta mais encaixada no ambiente!

Um amigo meu, Daniel, disse que: "Acho que a partir de agora, onde não cabe ele, não cabe você". E acho que é isso mesmo, quando eu cheguei em casa e fui buscar ele no quarto da minha mãe, dei um abraço tão forte que ele quase acordou, e deu uma resmungada muito fofa de linda! Eu amo esse guri, e não fico sem ele!

To emocionada, vou ter que parar de escrever, olha que viadagem!

Um beijo e até a próxima!


4 comentários:

  1. Apesar de não parecer, estarmos longe e as coisas não andarem tão bem quanto foi um dia! Tenho orgulho da pessoa que se tornou, pena estarmos onde estamos, mais acredito que se deus separou você e eu foi por um motivo, to aqui em sp, estou perdendo vontade de sair, de correr atrás de outra pessoa, e me arrependendo amargamente doque ando fazendo, queria um só dia, poder parar e agradecer a deus oque construí, mais não posso fazer isso, pq não construí nada na minha vida! só odio/rancor/tristeza, mais acredito que nem tudo nessa vida são espinhos, enquanto respirarmos teremos a chance para poder mudar, quem sabe um dia deus não consegue unir oque foi desunido graças a minhas atitudes. Só quero poder ser um pai que não fui esses 18 meses! E ser alguém descente pra meu filho poder me ver como herói, não apenas por saltar de um muro por outro com meu tenis da sorte! Victor peço desculpa por não ser um pai presente e bom! Só quero que daqui pra frente você consiga me ver como pai! Fazer oque sempre sonhei, não deixar nada faltar pra você, escrever historinhas no nivel da Betwin pra você. brincar contigo, e fazer diferente doque o meu pai de sangue não fez por mim, apenas o meu pai, que considero muito por ter me aceito de volta, não estou bem comigo e muito menos com deus, e me arrependo de cada atitude e palavra que disse do meu filho pra mim mesmo, dificil até de escrever o tanto que estou tremendo aqui, o quanto foi bom pegar ele e sentir o cheiro dele no sabado! Deus me ajude a ser um pai que nunca fui, e que a partir de hoje eu aprenda com meus erros!

    ResponderExcluir
  2. Lud adorei o post rs verdade realmente não conseguimos sair mais pra alguns lugares,sentimos falta dos nosso pequenos e o mais engraçado e que eu desejo mil vezes esta na cama com ele do que na balada com os amigos. Adorei esta de parabéns o blog do Victor ;)

    ResponderExcluir
  3. Lud, adorei reve-la.
    Realmente naum entendo 100 porcento esse sentimento pois, ainda naum sou mãe. Mas acredito no fato de que voce ainda é jovem e linda e precisa se divertir um poco... E naum tenha dúvidas que irei te chamar pra outros 'roles', mais tranquilos se for o caso... Quero vc rindo um pokinho e se distraindo, vamos marcar um happy hair. Eu te aviso. Adorei o blog e ri muito com a postagem.
    BJUUS Se cuida

    ResponderExcluir
  4. Lud, eu ainda não consegui sair só marido e eu... affão!
    Parabéns!

    ResponderExcluir

Oba! Adoro quando você comenta!