18 de dezembro de 2013

E o bamerindus continua numa boa


Pausando um pouco no assunto casamento, novo baby e fim de ano na globo, vamos falar do VICTOR

Meninada, eu tinha ido pra Sampa resolver aquilo sobre o cartório, e fiquei três dias lá com o noivo (ai, depois conto como foi o noivado, esqueci rsrs) na volta, mal reconheci meu filho! Da noite pro dia ele aprendeu mil coisas, acho que a vovó passou os três dias só ensinando ele a fazer artes:

- Dar tchau e mandar beijo na sequencia (antes só se a gente fizesse pra ele ver antes, agora só pedir que ele manda)

- A lista de palavras aprendidas:
Titio,
Mamãe (sem chorar rsrs uma vitória isso)
Papai (quando vê a foto do Edu no celular)
Bob (chamando o cachorro)
E uma infinidade de sílabas sem sentido, a mim me parece uma língua desconhecida pelos seres humanos, uns dádágugubiriboliguar que parece que a língua dele vai dar um nó,
Caí toda vez que cai, inclusive às vezes ele se joga só pra dizer que caiu rsrs

- Pega qualquer telefone, fixo ou móvel, e coloca direitinho na orelha (antes ele colocava na nuca) e fala ALÔ, seguido daquele palavreado em catalão, ou mandarim

- Pega qualquer livro e "conta a história" pra nós

- Assiste e gosta do clipe "cantando na chuva", vocês sabem, aquela clássica do Gene Kelly

- Dança ao som de Gangnam Style, batendo com um pé só e girando, batendo as mãos, etc

- Quando alguém o repreende, coloca as duas mãos no rosto e finge chorar

Enfim, um prodígio do jardim de infância. Estou vomitando arco-íris todos os dias, e explodindo de orgulho!

Bjões




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oba! Adoro quando você comenta!