27 de março de 2014

O que tem dentro da fralda?

Calma! Não é o que vocês estão pensando!

Só vim contar a última travessura do Victor:

Minha mãe o estava despindo para dar banho, e tirou a fralda antes da camiseta, aí ele se empolgou ante a liberdade de não estar usando roupas, sim, pelado nú com a mão no bolso, e saiu se pavoneando pelo quarto, sorrindo, correndo e tomando um vento na biluguinha.

Nós duas rindo com a cena, claro, nada melhor aos olhos de duas babonas corujas do que o pequeno correndo pelado às gargalhadas. Viva a liberdade!

Pois bem, ele com seus truques de mágica melhores do que os do Issao Imamura pra cegar a gente, pegou a fralda descartável (parece que demorou, mas ele fez isso em uns 4 segundos), que estava cheinha de xixi, (graças a Deus só tinha xixi) girou no ar, assim:


E na terceira girada a fralda, que era PAMPERS (duvidei da Pampers nessa hora), arrebentou, e voaram flocos de gel mijado na minha cara, um pouquinho só na minha mãe e bastaaante no tapete. Eu fiquei igualzinho o abominável homem das neves (quem lembra?):



Ele ficou todo assustadinho, como quando ele vomita, se sentindo culpado... Morri de dó, nem briguei com ele, deixei minha mãe limpando o tapete e entrei com ele no chuveiro, e cada vez que eu passava a mão no cabelo, parecia nevar no box kkkkkk

Como diz o Edu, esse menino é um terrorista!

Acho que quando ele ler isso no futuro vamos dar boas risadas com essa lembrança!

Beijoss a todos

17 de março de 2014

Bisos e Bisas


Assistindo ontem a um quadro do Fantástico, Entre Gerações, me pus a pensar nos meus avós. Atualmente eu posso dizer que só tenho a presença de dois, os paternos.

Meu avô materno Aprígio, faleceu quando eu tinha 7 anos, e por incrível que pareça, eu lembro de cada detalhe dele, de cada frase engraçada, de cada situação que passei com ele, tivemos uma convivência muito boa. É uma pena ele não ter conhecido o Victor ou a Laura, é uma pena os dois não terem escutado em primeira-mão aquela história do "Maria já comeu, já bebeu e já foi dormir", nem sentiu o cheiro de colônia do seu chapéu estilo Panama, não pararem de fazer arte ao escutar o barulho da chave que ele tinha no bolso chacoalhando quando ele estava se aproximando.

Vô Aprigio

Já minha avó materna, Maria, quando o Victor nasceu, já estava num estado avançado do Alzheimer, na ocasião da foto abaixo, ela ainda sabia quem eu era, e chamava o Victor de "o menino da Ludmila", beijava a mãozinha, dizia "Deus abençoe". Mas hoje em dia, infelizmente, ela não me reconhece mais, e não dá muita bola pro Victor, pois a casa da minha tia onde ela mora, vive cheia de crianças e ela não diferencia nem consegue mais lembrar quem é filho de quem. Mas fica a lembrança desse dia na nossa casa, em que ela estava extremamente carinhosa com o Victor, até tendo uns momentos de lucidez, dando dicas de como cuidar dele, como curar umbigo (apesar dele não ter mais o cordão umbilical no pregador rsrs). O que mais me recordo dela quando mais nova é a comida. Ô meu Deus do céu, que comida boa!

Vó Maria


Meus avós paternos são Idalina e Francisco. Os dois vivos e totalmente lúcidos graças a Deus. O Victor não conviveu muito com eles, pois moram em Guarulhos, mas isso vai mudar em dois meses, pois vou morar na mesma rua que eles, ou seja, Victor vai ter que se acostumar com a vó Dalica carinhosamente chamando ele de "seu boxtinha" kkkkkkkkk e vai ter que comer gemada, vitamina de abacate, suco de beterraba e fígado, pois "Esse menino tá muito magro". E também vai triplicar a safadeza quando for na casa do vô Cecico, pois ele é adepto do método "deixe a criança ser livre", ou seja, deixa eles comerem doces, salgadinhos e refrigerante o dia todo, deixa se sujar de lama, brincar na bacia de água e outras coisas que deixam mães de cabelo em pé... Mas é um avôzão mega carinhoso e dedicado. Ele leva e busca meus priminhos (de 5 e 4 anos) na escolinha de carro, e provavelmente levará Vic e Lala também, o carro dele será praticamente uma perua escolar rsrsrs

;
Vô Francisco e Vó Idalina

Vó Idalina



É isso, para Victor e Laura, deixo registrado aqui a dica de aproveitar bem a sua vó e o seu vô, pois ele não serão eternos e vão deixar um buraco grande na alma de vocês quando se forem. Com o tempo não dói mais, porém a saudade está sempre ali.

Seus avós


Abraços proceis!

Novas fotos da gestação da Laura


Claro que sempre atualizo a abinha "Gestação e Ultrassons" aqui do lado, mas avisando aqui, fica mais fácil visualizar.

Neste fim de semana, peguei algumas fotos mega criativas do Google (kkk) e reproduzi aqui em casa ta aí o resultado (algumas são só fotos comuns):











Fiquei com preguiça de colocar filtro nas fotos, então coloquei as originais mesmo, sem correção de cor...

Beijooos

5 de março de 2014

Quando o gato sai...

Os ratos fazem a festa, não é assim o ditado popular?

Enquanto eu estava em Guarulhos, olha o Vic aprontando todas com a vovó:















Tá virando hominho já, tinham que ver quando falava comigo no telefone, parecia dar bronca em mim pra que eu voltasse logo! Hehehe

A compra do enxoval


Mais uma vez eu fui pra Guarulhos sem o Vic, dessa vez pra comprar o enxoval da Laurinha, e resolver algumas pendências lá na minha casa nova.

Compramos tudo no Brás, na rua Maria Marcolina, algumas das roupas estavam baratíssimas, tipo um mijãozinho a dois reais, então valeu muito a pena:



No Brás geralmente cansa, mas compramos tudo numa loja só, porque o preço compensou... 

Enquanto isso no lustre do castelo (na nossa casa, para os leigos), os preparativos não param nunca, até eu peguei nas ferramentas! E acho que limpei a casa umas 3 vezes!




Enfim, esse foi meu fds que considero nota mil em felicidade!

Um beijo a todas!