27 de maio de 2014

Mas eu me mordo de ciúmes


To triste. To sem ação.

Desde que Laura chegou em casa, o comportamento do Victor mudou muito... Ele está mais carente de mim, mais apegado ao tio e a minha mãe. E o pior: Está violento.

Perco as contas de quantas vezes num dia eu impeço ele de bater nela ou em mim, de arremessar brinquedos, de tentar dar cabeçadas ou chutes.

Ontem foram tantas vezes que perdi a paciência e acabei batendo nele. Como vou ensinar ele a não bater, batendo nele? Foi isso que pensei assim que dei o tapa na perna dele...

De vez em quando eu consigo alguns momentos bons:

Olhem que carinha de triste, me corta o coração

Já essa cara é de "to fazendo carinho, mas em seguida vou apertar"


Isso foi hoje de manhã, fiquei tão feliz que 
tirei foto mesmo com ela chorando


Mas esses momentos duram pouco, ele logo empurra ela, tipo "chega"

Eu tento dar atenção pra ele o máximo que eu posso, porque já ouvi por aqui "quem precisa mais de você é ele, que entende" mas meu coração de mãe não acha justo com a Laura eu só pegar ela pra amamentar, visto que quando ele nasceu, ele não saía do meu colo. Eu to numa sinuca de bico que só Deus e a super Nanny na causa.

Hoje de manhã, eu brinquei com ele de teatrinho, e contei a nossa história com os bonecos.

Eu sou a vaca, ok? Não riam, ele 
não tem nenhuma boneca SEREIA rsrs


"Era uma vez a mamãe. Ela tinha um bebezinho chamado Victor, e os dois viviam muito felizes juntos, mas estavam sozinhos. Um dia mamãe conheceu o papai Dudu. E o papai gostava tanto da mamãe e do Victor que decidiu trazer mais uma amiguinha pra nossa família... o nome dela era Lala!
A Lala não sabia falar, nem andar, nem brincar, só chorar. Mas ela gostava muitooo do Vic, e olha só, o braço da mamãe é tão grande que consegue abraçar os dois..."

Sabem o que ele fez? Pegou a bonequinha rosa que representava a irmã e arremessou longe.

Uma amiga minha muito chegada, me lembrou que bebes tem a memoria curta, e achou meu método ótimo, ainda sugeriu que eu faça desenhos de nos quatro junto com ele. E que eu faça todos os dias, até que ele acostume.

Vou tentar brincar mais vezes de história pra ver se consigo algum progresso. Mas estou muito triste, porque já ouvi até que "agora que tenho ela, deixei o bichinho de lado". SOU MÃE DOS DOIS, AMO OS DOIS IGUAL.

Vocês mães leitoras que tem mais de um bebê, o que me sugerem?

16 de maio de 2014

Mãe dose dupla MESMO


O relato de parto está sendo escrito à prestações de um parágrafo por vez, por esse motivo:


Quem sabe um dia eu consiga terminar, e também vir fazer uma postagem contando tudo que aconteceu e está acontecendo no pós parto!

Pra quem não me segue nas redes sociais e ainda não viu, segue uma foto da Laura:



Linda e com cara de sapeca, né?

Bjao

1 de maio de 2014

Chegou o grande dia


Fim da azia, do peso, da dor nas costas, da dor no osso púbico... Mas também fim das mexidinhas dela na minha barriga, de imaginar como ele será, de ver o pai dela conversando na barriga...

Venho com muita alegria dizer que Laurinha vai nascer sábado agora, dia 3 de maio de 2014 (todas aqui sabem né? Da cesárea, da laqueadura, etc? Depois não quero ver ninguém comentando aqui em baixo defendendo parto normal, que eu sou uma dondoca, má mãe, que eu vou meter o pé!).


Essa é minha última postagem antes do nascimento, pois o agendamento foi tão repentino que parece que não temos nada pra levar, que to mais feia e peluda que o Hagrid, que perdi meus documentos todos, enfim, aquele medo de estar esquecendo algo, então tirei esse minutinho de soneca do Victor (que está doente, garganta inflamada) e vim aqui contar porque eu sumi, fui até cobrada pelo meu sumiço! E sinto desapontar mas acho que vou sumir por pelo menos mais um mês!

Afinal, vocês sabem como é bebê RN e recuperação de cesárea, e também sabem como eu fico louca ao cubo quando passo noites sem dormir, fico fungando dia e noite o pescoço do neném vendo se tá respirando e etc!

Mas na medida do possível vou voltando, postando uma foto aqui, acolá, tento escrever meu relato de parto pelo celular, e conto também sobre o primeiro encontro do Vic com a nova integrante da família Cassiano Sales, bem como a convivência.

Estou cheia de novidades boas (claro, quem vai contar desgraça? kkk) mas só conto daqui a algumas semanas!


Um beijo e que a Nossa senhora do bom parto (mas hein?) me ajude!


Pra quem está com saudades do mais velho:

Contarei em fotos o que o safadinho anda fazendo

Ele já tinha visto a praia, mas antes da frente fria chegar (uns dois meses atrás) ele estava indo quase todos os dias com o avô e titio, então pegou gosto por mexer na areia, fazer castelo usando as ferramentas de praia dele, e a entrar na água:




A relação Victor e Lalá andou se estreitando, parece que agora ele entende que ela habita meu ventre e não que ela é o meu abdomen rsrsrs. Às vezes estamos vendo TV de conchinha, e ele lembra dela (ou ela mexe nas costas dele) e ele fala "ê lalá" e bota a mãozinha na barriga pra fazer carinho sem sair da conchinha (conseguem imaginar a fofura?). Às vezes ainda têm episódios de ciúmes, como na segunda foto, estávamos arrumando as coisinhas da Laura e ele simplesmente quis deitar dentro do moisés que ela ganhou. Me partiu o coração.



Pegou gosto pela leitura. Pega os livros dele e vem correndo pra gente dizendo "Tólia, tólia, tólia, tólia" (disco arranhado) só pára quando a gente pega o livro e lê inteirinho pra ele. Isso quando não acaba e ele fala "Maix".




 Entrou pra gangue dos priminhos kkkk agora ele sabe brincar em grupo, e quando estão todos juntos, pegam fogo e o Vic fica parecendo o Taz mania:



Novas manias, novas palavras... Faz arte e nos desafia, responde a perguntas simples (Por exemplo: Vic, o que o Jonata é? Bolola!" kkk* tio que ensinou pra zuar o primo). Acorda de manhã e pega meus óculos na estante pra eu colocar e levantar logo. Pede água, papá, pede pra sair de casa (bóla, na nossa língua, vamos embora), chama pra tomar banho, e no banho mede a temperatura da água com a mão antes de entrar, entra sozinho, esfrega os pés com a bucha e ainda pede pra vó fazer hidratação no cabelo dele na água quente. Tá um galã:


Está muito apegado com o Eduardo, às vezes fico até com ciúmes, porque estou evitando pegar ele por causa do peso, e ele virou grude do Eduardo, e quando Edu não tá, gruda no resto da família, acho que está carente. Chama todo mundo (Antes não sabia mas agora fala com clareza "mamãe, vovó, vovô, titio e Jonata, além de Pam ou dinda, e Sara, que ele adora):





Morro de orgulho desse menino, e de alegria a cada pequena conquista dele!

Mães são super heróis


Estive contabilizando e vou contar pra vocês os superpoderes que adquiri depois de me tornar mãe:

Super audição


Assim como o Demolidor,  a nossa audição pra localizar filhos vai muito além dos ouvidos dos meros mortais. No chuveiro então, ouvimos choros, gritos, "mamãaae" e afins, saímos cheias de sabão nos olhos e invariavelmente é imaginação, mas ouvimos mesmo assim. Quem faz cama compartilhada acorda com qualquer mínimo mover de perna do bebê e quem não faz, qualquer respirada mais forte no berço já estamos lá fungando ele como uma mãe-loba.

Telepatia


Considero a nossa mil vezes mais potente que a do Prof. Xavier. Sabemos só de olhar pro pequeno o que ele precisa, o que está tramando (muito útil pra me defender de pancadas no caso do Vic que agora aprendeu a tacar coisas na gente), quando está ficando doente, com sono, com fome, chato e etc..

Cura


Wolverine não só tem o poder do adamantium nos ossos, mas ele tambem cura a si mesmo e a outras pessoas. Eu me lembro de ter ficado gripada duas vezes desde que o Vic nasceu, nas duas vezes eu me curei sozinha, no máximo com UM comprimido de febre, não tive como ficar de cama porque tinha que ficar com ele, então acho que a gripe se tocou e foi-se embora sozinha. A mesma coisa com ele, quantas quedas com choros intermináveis eu acalmei só com um beijinho no dodói? Com uma noite em claro medindo febre e dando água e remédios? Mães sabem exatamente o que fazer quando você está doente. Eu tiro pela minha, antes de eu ser mãe e ficava doente, ela sabia até o que eu queria comer!

Reflexos, velocidade e agilidade


Caiu a cinco metros de distancia de mim, piscou e eu já estava do lado com gelo na testa, ou lavando, ou sei la o que. Preciso dar um remédio, a agilidade que adquiri me faz parecer ter quatro mãos: uma segura a colher, outra abre a boca dele, outra segura braços e outra as pernas. Victor vem todo feliz na minha direção gritando "Lalá", se meus reflexos não fossem apuradíssimos, ele já teria machucado ela gravemente, e olha e já levei uns chutes dele na barriga (às vezes falha)

Somos ou não especiais?

Acredito que com a vinda da Laura, vou adquirir mais alguns poderes, como Ilusionismo, Persuasão, Teletransporte, controle do tempo, e duplicidade corporal.

See ya!