30 de março de 2013

Nutrição: Intoxicação Alimentar



Por Claudia Luques

Olá, queridos (as) leitores (as)!

Devemos nos preocupar, primeiramente, com a higiene pessoal de quem prepara os alimentos das crianças. Precisamos nos atentar no fato de as mãos e pele estarem sempre limpos; se há cortes ou machucados (responsáveis pela possível transmissão de bactérias para os alimentos). 


Além disso, devemos fazer com que não haja riscos do cabelo entrar em contato com o alimento, além de evitar o contato na orelha, nariz e boca durante a manipulação do alimento. Por último, mas não menos importante, não podemos manter o hábito de fumar durante a manipulação dos alimentos.

O maior risco do contato das bactérias com o alimento é a intoxicação alimentar. Mas o que seria a intoxicação alimentar? Ela ocorre de 1 a 36 horas após o consumo de alimentos contaminados ou envenenados, e seus sintomas, como náuseas, vômitos, dores abdominais, diarréia, etc., duram de 1 a 7 dias. Se não tratada de forma correta, a intoxicação alimentar pode ocasionar consequências graves para a criança.


Deve-se atentar muito para esta questão, pelo fato das crianças estarem formando seu sistema imunológico e serem vulneráveis a este tipo de intoxicação. Muitas vezes, os alimentos que causam intoxicação alimentar podem ter aparência, gosto, consistência e aromas normais.

Tendo condições adequadas de calor, tempo e umidade, as bactérias prejudiciais à saúde se multiplicam depressa. Devemos tomar cuidado com a contaminação cruzada de alimentos crus e cozidos, ou seja, que estes alimentos não sejam manipulados com os mesmos utensílios.

Os alimentos que apresentam maior risco para contaminação são:

          Todos os alimentos cozidos e carnes de aves
          Produtos feitos com carnes cozidas – tortas, linguiças, salsichas, patês, etc.
          Molhos e temperos
          Leite, creme de leite e todos os derivados
          Arroz cozido
          Frutos do mar
          Produtos feitos com ovos ( maionese, massas);

Uma ótima semana a todos! Até a semana que vem!

Um forte abraço,

Cláudia Beneton Luques (CRN 29478).

28 de março de 2013

Vampirinho


Vic chora, grita, não quer comer, dois dias atrás teve uma leve febre... e nada de eu descobrir o que é

Eis que minha mãe pega ele, dá uma olhadinha nas gengivas e voilà! Onde devem ser os caninos, estão duas bolas do tamanho de uma uva (exagero)

Por isso que ele ta babando! Por isso que ele leva tudo à boca e fica esfregando! Por que, Deus, eu não pensei nisso antes?

Fui consultar a segunda maior sabedoria popular da família, vulgo Dindinha Pam, e ela disse que a Sara também teve inchaço no lugar dos caninos, mas que no fim das contas o que nasce primeiro são os incisivos. 

Ou seja, o dente fica inchando e voltando, apontando e sumindo. Tipo meu dente do juízo ciso.

Tentei tirar a foto pra vocês verem, mas ele não parava quieto, fico devendo!

Abaixo uma tabela de quais dentes nascem primeiro e de acordo com a idade:


Beijos!

Tag: Imagens


Recebi uma Tag da minha colega blogueira Thaty, a mamãe do Caio
São 5 perguntas que tenho que responder com fotos! Então vamos lá!

1 ~ Quem é você?

(foto fresquinha especialmente para a Tag)

2 ~ Qual é seu maior sonho?


3 ~ Quem é a pessoa mais importante na sua vida?

(de mau humor)

4 ~uma frase?


5 ~ O que você aprendeu com a vida? 


E as 5 blogueiras escolhidas para responder as Tags são:

Camila Soyer
Bruna Bueno
Michele Smolski
Iza Mirelly
Ana Raquel

Beijos!

27 de março de 2013

Aprendendo a ser uma mãe

Boa noite!

Uma sugestão de blog: Aprendendo a ser uma mãe

É o blog da nossa amiga e leitora Thais Petrone, lá tem dicas, receitinhas, fofurinhas e muitas promoções!

Join!

Beijos, Lud

24 de março de 2013

Contos de ogros


Noite lindaaa essa de hoje, hein! Friozinho, chuvinha... enfim.

Hoje quero falar de filmes infantis que na verdade são pra adultos.

Na minha infância, a Disney ainda era só a Disney (não tinha feito parceria com a Pixar, e ninguém sabia ainda o que era Dreamworks). Então, as histórias que a gente via no videocassete (noossaaaa to véia, hoje em dia é Blu-ray) eram Branca de Neve (e as princesas todas), desenhos do Mickey, Pluto e cia.

  

Fora do aparelho de dvd, nós tínhamos os programas que passavam na tv aberta, onde passavam os desenhos favoritos: tom e jerry, marsupilami, o gato félix, tv colosso, e pelo que me lembro, entendíamos perfeitamente tudo que era dito.

    

Pois bem, de uns tempos pra cá, por motivos óbvios eu tenho prestado mais atenção em desenhos animados, e notei que boa parte deles é pra entreter adultos também. (Vai ver algum funcionário se apiedou dos pais que têm que passar horas assistindo o mesmo dvd, e colocou ao menos umas piadas nas entrelinhas, né?)

Por exemplo, o primeiro filme que notei isso foi Shrek. O filme tem milhares de cenas com piadinhas infames (adoroo) mas duas ficaram gravadas pela complexidade:

A cena do primeiro filme, quando a princesa pergunta como é o rei de Duloc. Shrek e o burro começam uma sequencia de piadinhas acerca da altura do rei (que eu acredito que uma criança não entende como a gente)
"Homens da estatura de Farquad, são raros por aí"
"Não sei não Shrek, Dizem que ele dá golpe baixo"

(Fora que o cara na cama é nojento, né!)

Isso é do tipo de piada, que uma criança não entende, pois é sarcasmo. (Eu achoooo)

E a outra cena é do especial de natal, Shrek expulsa o burro de sua casa e do lado de fora o burro grita: "Tá bom, fique aí sozinho no natal, Ebenezer"


Que criança vai saber quem é Ebenezer? Nem alguns adultos lembram que Ebenezer Scroge é um personagem do livro de Charles Dickens, intitulado Contos de natal.

Só pra não deixar sem mais exemplos, hoje assitir Monstros x Alienígenas e tinha uma gosma sem cérebro, que imitava tudo que a garota dizia sobre seu namorado, e no final ela dá um chilique imitando mulher, dizendo que arrumou outra gosma pra namorar, tipo, cena meio estranha pra se entender!


Eu não estou dizendo com esse post que odeio esses filmes, pelo contrário, eu amo! Mas é porque parece que EU sou o público-alvo! Isso tá certo? Será que eu regredi?

Enfim, ou a próxima geração será muito perspicaz e eu que não percebi (porque era LESA, quando criança), ou estamos tentando transformar nossos pequenos em adultos muito cedo...

Beijos com cheiro de morango!

22 de março de 2013

Nutrição: Produtos industrializados


Olá, caros(as) leitores(as)!

Estou aqui, nessa sexta feira, como de costume, para falar sobre um assunto muito importante: produtos industrializados para crianças.

A propaganda que a mídia utiliza para divulgar estes alimentos é um tanto quanto apelativa, fato que instiga as mamães pela praticidade dos produtos e a forma lúdica com que eles são oferecidos. 

A maioria dos alimentos infantis possuem desenhos “fofinhos” para que sempre que as mães e crianças verem os desenhos, imediatamente os relacionem com o produto.

Há tentativas de que seja proibida a venda de alimentos para as crianças juntamente com brindes ou brinquedos. Isso pelo fato de incentivar a criança a consumir determinados produtos simplesmente para conseguirem o brinquedo. Porém, o projeto de lei não foi aceito pelo Congresso.

Diante deste quadro, devemos nos preocupar com a qualidade do alimento que iremos oferecer para as nossas crianças, além do marketing envolvido na venda. Afinal, aquela criança que vê sempre determinados produtos na TV, facilmente irá consumi-los.

Existem riscos para as crianças que consomem alimentos prontos, como as papinhas, por exemplo? As papinhas infantis são produtos destinados às crianças. Para que ficassem com aquele sabor, cor, aroma e consistência, foram realizados muitos estudos pela indústria alimentícia. Mas até que ponto servir uma refeição como almoço ou jantar dentro de um “vidrinho” é interessante? O ideal é as refeições da criança sejam um momento prazeroso e que seja um momento em família, sem TV ou qualquer distração para que a criança aprenda algo novo a cada refeição.

Além disso, não há como comparar uma papa caseira feita de alimentos cozidos frescos com as papas industrializadas. O teor de vitaminas e minerais é muito maior na caseira. Além do sabor diferente que temperos naturais podem proporcionar.

Temos também os Danones infantis e similares. Estes são também um alvo da indústria, que utiliza a preferencia das crianças pelo alimento doce para tornar estes alimentos de consumo cada vez mais comum deste público. 

Assim como as papas, os Danones apresentam componentes artificiais para tornar a consistência, sabor e cheiro que eles possuem. Além disso, ao oferecermos às crianças alimentos muito doces, estamos aumentando a produção de papilas gustativas (que nos possibilita sentirmos o sabor) para alimentos doces, o que, a longo prazo, fará a criança preferir um danone ou chocolate a uma maçã, por exemplo. Sem contar no alto teor de sódio, conservantes e edulcorantes que estes alimentos possuem.


Espero que tenha ficado clara a mensagem desta semana. Qualquer dúvida estou a disposição!
As orientações gerais não substituem um atendimento nutricional individualizado. Para agendar sua consulta ligue para (13)88020827.

Grande abraço!
Cláudia Beneton Luques (CRN 29478)

21 de março de 2013

Inbox




Marcas de nascença

As marcas de nascença são comuns em recém-nascidos, e podem ir desaparecendo com o tempo ou permanecer pela vida toda. 

A maioria das marcas de nascença se classifica como vascular ou pigmentar. As manchas vasculares são causadas pelo acúmulo de vasos sanguíneos sob a superfície da pele. Variam de cor-de-rosa e salmão a vermelho e arroxeado, dependendo da profundidade dos vasos. Como a do Victor, localizada na parte de trás da cabeça, é rosa:



As manchas pigmentares -- normalmente marrons, cinzas, azuladas ou pretas -- são resultado do desenvolvimento anormal de células da pigmentação.  O Vic também tem uma dessas, semelhante à pinta da Angélica, só que beeem menor e mais clara, na parte de trás da coxa;



As manchas são tão comuns que o folclore sempre arranja alguma explicação para elas. Minha tia - avó me perguntou se eu tinha tido vontade de tomar vinho na gravidez (hehehe) Mas fique tranquila: o fato de seu filho ter uma mancha não é culpa sua, nem do seu parceiro, por não ter matado aquela vontade de comer alguma coisa bizarra durante a gravidez. 



A maioria das manchas de nascença é inofensiva, mas há algumas exceções, portanto é bom sempre mostrá-las ao pediatra. Alguns exemplos são: 

• Manchas de vinho próximas ao olho podem estar associadas a uma síndrome que causa convulsões ou a problemas de visão. 

• Hemangiomas grandes podem interferir na vida da criança. Às vezes os hemangiomas podem crescer dentro do corpo, ou ser muito desagradáveis esteticamente. 

• Grupos de mais de seis manchas café-com-leite podem indicar uma doença genética chamada neurofibromatose tipo 1, que pode estar associada a dificuldades de aprendizado. 

• Pintas muito grandes podem ter tendência a se tornar cancerosas no futuro. 

• Manchas nas costas (exceto manchas mongólicas) devem ser examinadas para determinar se não há interferência na espinha.
 


É preciso levar em conta que a maioria dessas manchas vai ter sumido quando a criança for maior. 

o ideal é se informar sobre o tipo de mancha específica do seu filho e procurar opiniões de dermatologistas. O melhor caminho, em caso de situações mais graves, é contar com o aconselhamento de uma equipe multidisciplinar, composta por cirurgião plástico, cirurgião vascular e dermatologista, além do pediatra, para evitar uma atitude precipitada. 

E vocês ou seus filhos, têm alguma marca de nascença? Conte pra gente!

Beijos!

Fonte: Baby Center Brasil

19 de março de 2013

Chuva, chuvisco, chuvarada.


Aqui em casa estamos nesse clima mesmo, só faltou o bolo de cenoura com cobertura de chocolate quente.

Pra ajudar, perdi o cabo do meu celular, e estou com três postagens prontas, que só faltam as imagens pra ilustrar (uma delas sobre manchinhas de nascença, vocês vão ver a do Vic, na cabeça).

Como eu sou do inverno, estou adorando dormir embaixo das cobertas, bem quentinha, e essa noite eu dormi abraçadinha com o meu filhote, muito delícia!

Beijos e até mais!


15 de março de 2013

Tipos de filho


Eu estava devaneando sobre como será o Victor daqui a alguns anos, e pensei em alguns "filhos famosos" que eu detestaria ter em casa, são eles:

Filho Quico:



"-Mamãããeeee!!
- Sim, tesouro!
- O chaves pegou minha bola
- Vá até a venda e compre outra, sim?
- O.O"

Nota: Detesto "filhinho da mamãe". Esse tipo na infância têm tudo o que quer, e quando cresce, fica travado em criar a própria família. Demora a sair da barra da saia. E quando sai, quer que a esposa faça tudo que a mãe dele fazia.

Filho Patrick:



"- Junior, vem aqui
(meia hora se passa, Junior de boca aberta, a baba escorrendo, aí cai em si e responde)
- Hein, mamãe?"

Nota: Esse era meu irmão com 10 anos de idade, pense em alguém que ia até o mercado, chegava lá, esquecia o que tinha ido comprar e voltava pra casa pra perguntar pra minha mãe (nessa época não tinha celular).

Filho Chiquinha:



"Eu vou contar tudo pro meu pai que você me..."
"Papaizinho lindo, meu amor!"

Nota: ODEIO criança mentirosa, alcaguete, puxa-saco e que tenta tirar vantagem dos mais pobres de intelecto (pobre Chaves). Esse tipo, na minha humilde opinião, são os futuros sociopatas ou psicopatas mesmo.

Filho Hitler:



"Não vou brincar com ele, ele é judeu negro!"

Nota: Discriminação de qualquer especie eu não admito. Se eu ouvir uma dessas um dia, a chinela vai cantar.

Filho "a bola é minha":



"Se não brincar do meu jeito, eu levo a bola embora"

Nota: Eu pegava a bola e furava! hehehe



Pesquisando mais fundo:

O modo mais específico de pesquisar o tipo de personalidade é por meio doIndicador de Tipo Meyers-Briggs, ou para seus filhos, o Indicador de Tipos para Crianças Murphy--Meisgeier. Procure um psicólogo ou conselheiro qualificado que possa ajudá-los na aplicação do testa.
Lembre-se:
Uma criança só tem sua personalidade definida a partir dos 7 anos de idade.

Fonte para pesquisa sobre o teste: Meyers-Briggs


Beijos (preciso providenciar outra assinatura)

Nutrição: Introdução de alimentos sólidos


Por Claudia Luques

Olá, queridos leitores(as)!

O assunto de hoje foi baseado em uma necessidade fundadora do Blog, a Ludmila Sales! Que está iniciando a inclusão de alimentos sólidos nas refeições do Vic!



Conforme o bebê cresce, as necessidades nutricionais aumentam e os alimentos devem ser adaptados para cada período.

A partir dos 6 meses de idade já devemos começar a incluir os alimentos comuns a alimentação da família. O que muda é a consistência.

A alimentação complementar deve prover suficientes quantidades de água, energia, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, por meio de alimentos seguros, culturalmente aceitos, economicamente acessíveis e que sejam agradáveis à criança.

As frutas devem estar presentes já nesta fase, em forma de papa ou suco. Os legumes e verduras também precisam estar presentes. Após o cozimento, devem ser amassados para fazer a papa. Juntamente com os legumes e a verdura, deve-se acrescentar um alimento rico em proteína para ajudar no crescimento do bebê, podendo ser carne cozida, frango, ovo ou peixe. As carnes devem fazer parte da alimentação da criança a partir dos 6 meses de idade.
Uma das maiores dificuldades é em relação à consistência da carne. É muito importante que sejam pedaços bem pequenos e desfiados. Devemos cozinhar bem os alimentos e amassa-los, evitando o uso do liquidificador, pois há perdas de vitaminas e há maiores riscos de contaminações para o bebê, porque nem sempre, o liquidificador está livre de bactérias. Além disso, os alimentos não devem ser passados na peneira, pelo fato das fibras e alguns nutrientes ficarem na peneira.

A seguir, uma receita de papa salgada para vocês terem uma ideia dos alimentos que devem compor a papa e forma de fazer (MINISTERIO DA SAÚDE, 2009):
Papa de feijão, arroz, espinafre e ovo.

Ingredientes:

  • ½ concha com feijão

  • 3 colheres das de sopa cheias de arroz

  • 1 colher de sopa cheia picada de espinafre (ou outra folha verde escura)

  • 1 ovo (50g)

  • 1 colher pequena de óleo

  • 1 colher das de café rasa de sal

  • 1 colher das de chá de cebola ralada

  • 1 dente de alho picado

Modo de preparo

Lavar bem as folhas e talhos do espinafre e picá-los. Colocar o óleo em uma panela pequena e refogar a cebola, o alho e o arroz, e acrescentar dois copos de água. Deixar cozinhar até que o arroz esteja quase pronto. Antes de a água secar, acrescentar as folhas e talos picados de espinafre. Quando a papa estiver com consistência pastosa e com pouca água, desligar e adicionar o feijão e o ovo cozido. Amassar bem.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas de vocês! Estou à disposição para qualquer dúvida. Lembrem-se que são orientações gerais sobre alimentação, o que não dispensa o planejamento alimentar individualizado.

Caso tenham algum assunto de interesse em relação a alimentação postem no blog!

Uma ótima semana a todos! Até a semana que vem.

Um forte abraço,

Cláudia Beneton Luques (CRN 29478)

14 de março de 2013

Vem coisa boa por aí!

A nossa leitora/amiga/tentante Erica Campos voltou para a blogsfera, e ao que tudo indica, ela irá adotar uma criança.

Achei lindo, e podem esperar postagens emocionantes e emocionadas!

Vamos ver a maternidade sob essa perspectiva?

O blog: http://erika-campos.blogspot.com.br/

Beijinhos!

O brinquedo certo

Ainda no ritmo da postagem anterior (Pensa que ter filho é fácil?)...

Até um mero brinquedinho, simples, daqueles que você não dá nada por ele, pode sufocar, engasgar, cortar ou intoxicar seu filho.

Por exemplo, eu caí na besteira de comprar um brinquedinho que achei bonito para o Vic, esse:

(é um ventiladorzinho do Angry Birds)

Porém não havia me atentado que ele agora está na fase de levar tudo à boca, e o resultado foi que ele bateu em menos de 5 segundos, as pontas do brinquedo na gengiva e nos olhos.

Medidas simples podem ser tomadas para evitar acidentes, como:

- Sempre observar seu filho brincando
- Verificar selo de garantia da qualidade do produto
- Respeitar a faixa etária indicada na embalagem.

Alguns exemplos:

0 a 5 meses Chocalhos, brinquedos musicais, mordedores, brinquedos de berço, móbiles, livrinhos de pano ou plástico, bolas com texturas diferentes para serem agarradas com as duas mãos.
6 meses a 1 anoBrinquedos flutuantes (patinhos de borracha que bóiam na água), cubos que tenham guizos embutidos ou ilustrações,  caixas ou brinquedos que se encaixam uns dentro dos outros, argolas empilháveis, brinquedos para martelar, empilhar e desmontar, brinquedos eletrônicos de aprendizado, mesa pequena com cadeirinhas na altura em que a criança possa alcançar os pés corretamente no chão, telefone de brinquedo, espelhos, brinquedos que emitem sons por meio de botões de apertar, girar ou empurrar.
1 a 2 anosBrinquedos de variadas texturas (estimulam os sentidos da visão, da audição e do tato), bonecas de tecido e bichos de pelúcia feitos de materiais atóxicos, livros e álbuns de fotografia com ilustrações dos familiares e objetos conhecidos, brinquedos de empurrar ou puxar, brinquedos de montar e desmontar. Os brinquedos devem ter cores vivas e não podem ser tóxicos.
2 a 3 anosBolas, muitos blocos de brinquedos para empilhá-los e colocá-los dentro de caixas, brinquedos de encaixar e desmontar, brinquedos musicais, carrinhos, bonecas, cavalinho de balanço, brinquedos para praia ou piscina, brinquedos de equilibrar um em cima do outro. Nesta idade deve-se ensinar a criança a organizar e recolher os brinquedos.

Além disso, como eu já cansei de bater na tecla aqui no blog, brinquem com seus filhos, criem vínculos. Nada de deixar ele em frente à TV sozinho!

Beijos com baba!

Lud e Vic (kd minha assinatura?)

12 de março de 2013

Como saber se estou preparada(o) para a maternidade

Você vai precisar dos seguintes materiais:

1 saco de 5kg de arroz (no caso do Vic pode juntar mais um de feijão de 1kg, ele pesa seis)
Um despertador estridente
Apetrechos de bebê (mamadeira, leite, fraldas, Hipogloss)

Ande com o saco de arroz no colo o dia todo, de vez em quando nine o saco, e coloque numa caminha confortável, depois de 5 minutos ouça o alarme do despertador estridente e corra para o saco de arroz, com uma mamadeira fresquinha e morninha (cuidado para não queimar a língua do saco de arroz!)

Verifique a fralda do saco de arroz (Xiiii, fez cocô!) tire a fralda, limpe, dê um banho.

O alarme de novo, ele está chorando, quer assistir o DVD da galinha pintadinha.

Ah não, o alarme novamente, o saco de arroz não quer ficar deitado, despregue a bunda do sofá e dê uma voltinha pela rua com o saco de arroz nos braços! (Tente paquerar alguém com olheiras, roupa larga e cheirando a talco, com o saco de arroz nos braços, você fica mais invisível que um gari).

Finalmente dormiu por umas três horas, aproveite para tomar banho. Escute um choro muito alto, saia correndo do banheiro pelada(o) e com sabonte nos olhos, pra chegar no berço e ver que foi só fruto da sua imaginação.

Escove os dentes, se alimente (aposto que esqueceu disso tudo), lave e passe as roupinhas dele.


Despertador de novo, mamadeira fresquinha, brinque com o saco de arroz de "Cadê o saco da mamãe? Achouuu!"

Sinta vontade de se embebedar, só que não, pois tem que vigiar o saco de arroz. Aliás, você tem que vigiar o saco de arroz o tempo todo, pois ele aprendeu a rolar, e pode cair da cama, do lustre, do berço, do bebê conforto, da janela, do carrinho.

Acabou a novela das nove. Programe seu despertador para tocar de duas em duas horas e deite o saco no berço, deite você na sua cama. 

Comece a dormir e acorde assustada com o despertador. Mamadeira, fralda.


De novo. Colo, carinho.

E de novo. Um carro passou cantando pneu na rua e o assustou.

E de novo. Oh, meu Deus, já é dia!!!???


Fora os gastos:

Berço, cômoda ou roupeirinho, roupas e sapatos que devem ser renovadas todo mês (eles crescem rápido, perdem roupas), em média 180 fraldas por mês, pomadas, produtos de higiene, remédios, vacinas, se não mamar no peito, no mínimo 10 latas de NAN por mês (é caro!), frutas frescas todo dia, água mineral, brinquedos, passeios, quando cresce tem que comprar material escolar, quando aprende a falar vêm o famoso "mãe me compra aquilo".

E aí, preparada(o)?

11 de março de 2013

Anonimato


Boa tarde!

Vou interromper o fluxo de postagens, fotos e informações da página e do blog pra dizer algumas coisinhas que estão acontecendo "nos bastidores"

Semana passada, junto com o layout novo, eu liberei os comentários para todos, inclusive postagens anônimas.

Mal liberei, apareceu um (ou uma) comentando a nossa coluna semanal sobre nutrição, dizendo que aquela coluna não prestava pra nada, que era uma merda e que eu deveria tirar porque ninguém quer ler isso.

Caros amigos, devo lembrá-los que eu fiz esse blog como um registro futuro, para que o Victor soubesse o que a mãe dele viveu e sentiu quando ele era pequeno!

O fato é que os visitantes foram chegando, sugerindo temas, seguindo, e como eu vi que algumas pessoas gostavam das postagens, tratei de tornar o blog uma coisa mais de utilidade pública.

Tenho em média uns 200 leitores, e acredito(acreditava) que todos gostam do Victor, e respeitam as opiniões expressas aqui.

Como não bastasse o desrespeito com a coluna da nossa querida amiga e nutricionista Claudia Luques, recebi ontem o seguinte comentário no ASK: vc tirou o anonimo do blog porque tem medo das opniao dos outros so quer saber da sua, se acha a ultima bolacha do pacote, blog de merda

Blog de merda? Como a pessoa pode ter coragem de entrar num blog que é um presente de uma mãe pra um filho e dizer isso? Alguem pode me responder?

Medo? Não tenho como ter medo de alguma coisa que não sei o que é, pois é muito mais fácil usar o anonimato para me xingar, do que mostrar a cara pra fazer uma crítica construtiva.

E sim, aqui a minha opinião é a que mais importa, afinal, o blog é meu, e se eu quiser criar uma coluna de tipos de cocô do Victor, eu não vou pedir permissão pra ninguém.

Em vista disso, tirei novamente o acesso a postagens anonimas, não por não querer ouvir críticas, mas acredito que pessoas que querem te ajudar, dão sugestões de cara limpa, não usam o anonimato para tentar diminuir você. O canal de comunicação com o blog continua ativo aqui na aba contatos. Porque respeito é fundamental.

Aos meus leitores queridos, peço desculpas pelo desabafo, e ao anônimo, por favor PARE DE LER o blog, e a cada pensamento ruim que tiver sobre mim, deposite um real na minha conta (a fralda tá cara, já ajuda)!



Um super beijo e fiquem com Deus!


10 de março de 2013

Pessoas inalcançáveis


Elas são bonitas, populares, inteligentes, um certo ar blasé... E nunca vai olhar pra sua cara!

Vocês conhecem alguém assim? Meio misteriosa, ou mora em um pedestal tão alto que parece que ninguém alcança? Tipo aquelas pessoas que passam no programa do Amaury Jr.? Então, to falando dessas!

Essa semana eu estava de novo pensando em mãe-solteirice, e assuntos do tipo (li dois posts, um no Lulu não dorme e outro no Papai Jovem sobre isso), e percebi que mãe-solteira é do mesmo clubinho de pai solteiro.

Explicando: Existem pessoas que parecem inalcançáveis. Tipo Vin Diesel (tá bom, esse é milagre eu ter contato um dia, mas exemplos mais próximos e igualmente milagrosos não posso citar aqui).

Brincadeiras à parte, eu cansei de tentar fazer novas amizades com pessoas que "não tem filhos", sim estou entrando pro clubinho dos pais e mães, solteiros ou não, que eu tanto relutei!

Por que? Ah, as pessoas desse clubinho não cansam de falar dos rebentos, os que são solteiros entendem os que também o são, lá não existe da pessoa te adicionar, ver que você tem filho e sair de fininho.

Quando você conhece um pai ou uma mãe, eles não vão te "encher o saco" se do nada você deixar a pessoa falando sozinha porque ouviu um choro no quarto ao lado.

Vai te chamar pra sair em lugares que seu filho possa ir, não em uma balada (penso eu, ou pelo menos por enquanto).

Quanto às pessoas inalcançáveis, elas que me alcancem!

Beijos alados.

8 de março de 2013

Nutrição: Alimentação e manutenção da saúde


Por Claudia Luques.

Olá, seguidores(as) do Blog “As aventuras do Vic”!

Vamos falar hoje sobre Alimentação e manutenção da saúde!

Para mantermos a integridade de nossa saúde devemos nos preocupar não só com a quantidade dos alimentos que consumimos, mas também com a qualidade! 

Iniciarei falando sobre os alimentos integrais: “Porque eles são tão importantes?”.

Os alimentos integrais são nada mais nada menos do que os alimentos em sua forma mais simples, ou seja, são alimentos que não passaram por muitos processos industriais.

E porque eles são tão importantes durante a gestação e em todas as faixas etárias? Estes alimentos são ricos em vitaminas, minerais e principalmente fibras! As fibras nos auxilia a regularmos nosso intestino, sendo a constipação intestinal um problema frequente nas gestantes.

Segundo o guia alimentar de Harvard, mostrado na figura abaixo, a base para uma alimentação saudável é: atividade física, controle do peso e alimentação equilibrada. Desta forma, um deles isolado não nos proporciona resultados esperados em relação a manutenção da saúde e perda de peso.



Como podemos observar, os alimentos integrais foram colocados logo em seguida, tendo eles a importância assim como as frutas, verduras e legumes. Podemos notar também a presença dos óleos vegetais (ex: azeite, óleo de canola) que nos ajudam a na absorção de vitaminas, diminuem o risco para doenças do coração.

Na terceira parte temos as carnes brancas (peixe e frango), que devem estar mais presentes do que as carnes vermelhas por serem consideradas carnes mais “magras”, com menor percentual de gordura. Além das carnes brancas temos as oleaginosas neste parte da pirâmide, são exemplos as castanhas, amêndoas, nozes, etc. As oleaginosas são ricas em gorduras monoinsaturadas, que são gorduras que nos ajudam a mantermos o colesterol bom (HDL) em quantidade adequadas.

Logo acima, notamos a presença do leite e derivados (queijos e iogurte), são os alimentos ricos em cálcio, que nos ajudam na manutenção e preservação dos ossos e funcionamento do organismo.

Por fim, na ponta da pirâmide, temos os alimentos que devemos consumir em menor quantidade que são: carnes vermelhas, doces, pães brancos, refrigerantes e produtos industrializados. São alimentos que em grandes quantidades e se consumidos com frequência podem ser prejudiciais a saúde.

Foi um imenso prazer conversar com vocês hoje! Lembrem-se que são orientações gerais sobre alimentação saudável, o que não dispensa o planejamento alimentar individualizado.

Uma ótima semana a todos! Até a semana que vem.

Um forte abraço,

Cláudia Beneton Luques (CRN 29478)

Fonte: Adaptado de Willet et al 2001

Upgrade do Vitinho

O Vic já sustenta o corpo no peito (de bruços) já sabe rolar, prometo fazer um vídeo pra postar aqui depois

E as novidades engraçadas: Ele aprendeu a mostrar a língua




E eu ensinei ele a balançar o chocalho sozinho! Eu balanço e dou pra ele, aí ele todo desajeitado tenta balançar igual, mas parece um robozinho, e invariavelmente o chocalho/livro cai na cara dele!

Beijo babado!


6 de março de 2013

Dentinhos




Vic tudo que vê coloca na boca, minha mãe levantou a teoria que os dentinhos já estão nascendo, mas eu acho que não, apesar que sinto a gengivinha meio durinha em cima, quando escovo com a gaze... Aí resolvi pesquisar, e achei uma explicação básica:

A erupção dos primeiros dentinhos geralmente ocorre no período em que a criança já senta e aumenta seu espaço para brincar. Essa época é onde o bebê leva a mão e tudo o que pega à boca, principalmente para aliviar a coceira das gengivas. As impurezas são transportadas do ambiente para o organismo do bebê podendo ocasionar estados febris, vômitos e diarréias, sintomas sempre relacionados com o aparecimento dos primeiros dentinhos.
Para aliviar a coceira gengival, ofereça ao bebê mordedores para massagear a gengiva. O alívio será maior se antes o mordedor ficar na geladeira, o frio ajuda a confortar a região.
Aos seis meses, o período de introdução de novos alimentos também se inicia. Comece aumentar a consistência dos alimentos gradualmente. Alimentos mais consistentes também ajudarão a massagear a gengiva além de estimular e ensinar a mastigação.
A mamãe pode ainda fazer uma massagem com o dedo indicador em toda gengiva, sempre com a mão bem limpa. Se a irritação for muito forte, consulte o médico que poderá receitar analgésicos e antitérmicos.
Os dentes de leite servem como guia para o posicionamento e a fixação correta da dentição permanente além de auxiliar na mastigação e no desenvolvimento da fala. Então os cuidados devem começar mesmo antes do nascimento dos primeiros dentinhos. É preciso caprichar na higiene bucal do bebê.
Nos primeiros meses de vida, os pais devem fazer uma limpeza da gengiva, bochecha e língua com uma gaze ou fralda embebida em água filtrada pelo menos três vezes ao dia. A primeira visita ao dentista que dará orientações sobre como fazer a higienização deve ser nos primeiros meses também.
Com a erupção do primeiro dente, pode-se começar a utilizar uma escova pequena, macia e com cerdas arredondadas. O cuidado com a dentição precoce do seu bebê é sinônimo de um sorriso saudável no futuro.

Fonte:

4 de março de 2013

Esqueci o título!


"Tá na hora de ir fazer outra mamadeira" Pensei eu hoje à tarde.

Aí dei um beijo no Vic, fui cheirando, cheirando e levantei, pois sabia que tinha algo pra fazer, aí fui andando pela casa até chegar no banheiro, entrei no box e de repente estaquei: Caramba, o que eu vim fazer no banheiro mesmo?

Aí o Vic deu um gritinho láááá na sala, e eu na hora "potz, a mamadeira, é na cozinha que eu devia estar"

Ou então:

Eu com o Vic no colo vendo Cocoricó:

"Murilo, que horas são?"

"09h30"

Passados 5 minutos eu não me lembro mais o que ele me disse.

Um dia desses tomei banho e passei a gilette em uma perna só! Saí com uma perna cabeluda e a outra lisinha!

Agora me fala, que diabos tem na minha cabeça se eu teoricamente, não faço nada all the day?

Preciso parar com as dorgas.

Novo template!

Agora sim tá um blog apresentável!

As novidades:

- Banner novo no tema Deles, claro!
- Colunas personalizadas
- Balão de data na postagem colorido
- Balão de comentários na postagem colorido
- Link-me do Blog (agora simmmm, parcerias, vem ni mim!)
- Estatísticas do blog
- Postagens populares
- Imagem vVoltar ao topo dentro do tema Toy Story
- Capa personalizada para Fan Page e Perfil do Facebook (dêem uma olhada lá)
- Proteção contra cópias de imagens e fotos
- Marca d'água para fotos (de hoje em diante)
- Formulário de Contato


Muchas gracias a Srta. Ju, do blog Sal da Terra, que me ajudou nessa!

O que acharam?

3 de março de 2013

Entrevista com Guilherme Fuoco


Guilherme Fuoco é dono do blog Papai Jovem, em destaque esse mês na revista Pais & Filhos, professor de inglês e jornalista, alem de, claro, ser pai da linda Laurinha, de 4 anos. 

Por causa da filha, a vida do escritor não só mudou em questão de rotina e responsabilidade, mas em aprendizado.

E o blog Aventuras do Vic entrevistou esse super pai, e o resultado do nosso bate-papo, tá aí pra vocês:

AV: Quem é Guilherme Fuoco?

GF: Guilherme Fuoco é um cara muito feliz, trabalhador e sincero (até quando não é pra ser).

AV: Como é ser pai de menina?

GF: Ser pai de menina é brincar com bonecas e escutar zoeira de amigos que têm filhos meninos.

AV: Você foi pai aos 19 anos de idade, em algum momento você pensou: "Meu Deus, não vou conseguir"?

GF: Não, isto nunca. Eu pensei: "ferrou, mudou tudo!" Mas que não vou conseguir, não, não...

AV: Lendo seu blog, percebemos que você conseguiu a tão sonhada condição de amigo da mãe de sua filha. Alguma dica para os que ainda estão em pé de guerra?

GF: A dica maior é esquecer o passado e valorizar o presente. Quanto mais rancor houver a respeito da separação, pior para a educação presente e futura da criança.

AV: Falando um pouco do blog, como surgiu a idéia de relatar as suas aventuras como pai?
GF: Eu acordei no dia 24 de Abril de 2012 querendo escrever sobre a Laura e para os outros papais. Foi do nada. Sei lá, estava iluminado, e tão seguro da minha vida e das coisas boas que aconteceram com a vinda da Laura, que eu quis contar e ajudar alguém que estivesse com problemas.  

AV: Laura dá palpite nas namoradas ou tem ciúmes quando você sai? Como você lida com a baixinha nessas horas?

Só vou para o rolê, quando a Laura não está em casa. Já as duas namoradas que tive depois da mãe da Laura foram muito legais com ela. Mais a segunda do que a primeira, porque ela tinha uma irmã pequena, primos da idade da Laura e, o mais importante, uma atenção enorme com a minha herdeira.

AV: Que valores você pretende transmitir a sua filha?
GF: Seja do bem. O resto ela aprende sozinha. Sendo do bem ela vai ter todos os outros valores.


AV: Você é um papai de primeira viagem. A Laurinha já te deu algum susto?

GF: Quando ela tinha um mês, ela caiu do sofá e foi para o hospital! UM MÊS! Foi um deslize de dois segundos de uma fraldinha que tinha caído no chão. Gente...Saí do serviço voando para o hospital, mas não foi nada e a Laura melhorou rapidinho. O susto foi enorme né...

AV: Pretende ter outro(s) filho(s)?

GF: Quero ter um moleque ainda para levar o sobrenome. Guilherme Fuoco Junior. Será corintiano e jornalista também.




AV: Felicidade pra você é: 

GF: Dormir de consciência limpa.

AV: Deixe um recado para os leitores de "As aventuras do Vic"

GF: Caros leitores, comentem no blog! Nós, blogueiros, queremos comentários, participação e atenção! De resto, faça o bem, que o resto vem! Beijos a todos.



Obrigada Guilherme, pela entrevista! E pessoal, visitem o blog, é muito engraçado ver a maternidade pela ótica de um pai solteiro, pra variar!

B3ijos!